quarta-feira, 18 de junho de 2014

Estresse no trabalho está afetando sua vida pessoal?


Muitas transformações têm ocorrido no mundo empresarial e, com isso, alteram-se também as relações do ser humano com o mercado de trabalho. A busca por produtividade, cada vez mais frenética, resulta em uma pressão constante aos profissionais e esbarra nos limites do ser humano, colaborando para o aumento do sofrimento do individuo.
O cenário é propício para doenças emocionais. A difícil adaptação no trabalho provoca sentimentos de inadequação, podendo estender à vida pessoal do colaborador, causando maiores prejuízos.
O estresse é uma condição na qual, o indivíduo é colocado frente a frente com oportunidades, limitações ou demandas em relação a algo que deseja. É uma resposta interna a uma situação de intensificação externa.
Muitos autores dizem que o estresse não é, necessariamente, ruim;  muitos o utilizam como propulsor e vêm as pressões do dia a dia como um desafio positivo, melhorando seu trabalho e aumentando sua satisfação.

E como saber qual o limite?
O que é doença e o que me traz motivação?

Essa é uma resposta individual. Cada organismo reage de uma forma, não há como saber. No entanto, podemos perceber se as exigências do mercado de trabalho estão nos trazendo sensações de realização e bem-estar, ou emoções negativas como irritabilidade, ansiedade, problemas conjugais, entre outros.
O importante é perceber pequenos sinais de estresse, pois os fatores estressantes são um fenômeno acumulativo, sendo que um determinado fator pode ser de pouca importância quando observado isoladamente, mas pode se tornar a gota d’água quando somado a um nível de estresse já alto.

Alguns aspectos do cotidiano que podem influenciar no estresse, são:
- Novidade da situação: uma situação nova será identificada como potencialmente estressante se for associada com um acontecimento anterior que gerou ameaça e/ou dano;
- Possibilidade de predizer o acontecimento (suposição): à medida que as pessoas são preparadas para receber uma notícia dolorosa ou viver uma situação que lhes causa aversão, suas respostas ao estresse são menos intensas e o inverso é verdadeiro;
- Incerteza do acontecimento: quanto maior a incerteza, maior o tempo de avaliação, o que pode gerar sentimentos e condutas conflituosas;
- Iminência do acontecimento (tempo que antecede o acontecimento): geralmente, quanto mais iminente o evento significativo, maior o impacto desse aspecto no processo de avaliação e, consequentemente, mais intenso poderá ser a resposta ao estresse;
- Duração do episódio estressante: quando é muito longo, as consequências sobre o organismo podem ser mais intensas, causando desgaste progressivo e esgotamento, o que evidentemente compromete o desempenho da pessoa;
- Incerteza sobre quando vai acontecer o evento: está relacionado com o desconhecido e a iminência temporal do acontecimento;
- Ambiguidade: falta de informação suficiente para avaliar um evento.

Vale ressaltar que muitas doenças são originadas de fatores estressantes, como a síndrome da fadiga crônica, as somatizações, os distúrbios do sono, a depressão, as lesões por esforços repetitivos - LER, entre outros.
Não deixe que o estresse do seu cotidiano lhe cause outras doenças e prejudique sua vida. Existem formas para controle e prevenção do estresse. Ao observar as situações que causam estresse em sua vida, verifique cuidadosamente o porquê elas são tão aborrecedoras.

Faça rodadas de EFT para cada um destes motivos, verifique como se sente em relação a esse estresse e faça mais rodadas de EFT.
Além disso, é importante alimentar-se de forma saudável, exercitar-se, mudar hábitos e se for o caso, pedir ajuda. Muitas vezes, não conseguimos enxergar a solução sozinhos.


Não se esqueça: a linha que separa o saudável do não saudável é muito pequena e quando se percebe a doença, o estágio já está avançado e causando outros problemas em sua vida.

Entre em contato, ficarei feliz em ajudá-lo.






Nenhum comentário :

Postar um comentário