terça-feira, 8 de julho de 2014

Onicofagia. Você sabe o que é?


 Onicofagia é o nome técnico para o hábito ou a compulsão por roer unhas, em momentos de nervosismo, ansiedade, estresse, fome ou, até mesmo, tédio.


A pessoa, vítima deste problema, pode roer não só a unha, mas também a pele ao seu redor e a cutícula, provocando infecções, inflamações e sangramentos. Além disso, a compulsão pode ser tão grande que restringe, inclusive, os movimentos das mãos, prejudicando as atividades da pessoa.
Situações como ter que esconder os dedos dos outros de vergonha, tomar choque no chuveiro, enroscar as mãos em roupas, ter sangramento e ardor são eventos que o roedor precisa lidar frequentemente e que, acumulam energia negativa, prejudicando ainda mais o vício.
O hábito pode se desenvolver em crianças a partir de 04 anos e acompanha-las até a vida adulta. Em casos suaves, motivação, força de vontade e o próprio tempo são suficientes para o hábito se dissipar. No entanto, em casos mais graves, deve-se procurar tratamento.
Há casos em que o médico receita medicamentos como vitamina B para aumentar a atividade da Serotonina no cérebro, antidepressivos e ansiolíticos.
Mas antes de atitudes drásticas como essa, é importante tentar outros métodos, como por exemplo, fazer um diário da unha.
Fazendo um diário é possível perceber em que momentos a pessoa rói suas unhas. Anotar os motivos da ansiedade, acompanhar as recaídas, saber o que desperta a vontade, controlar o progresso do crescimento das unhas, são apenas alguns dos benefícios do diário. Usar as redes sociais como fonte de incentivo também é, assim como o diário, uma forma de controlar o hábito.
Castigar, passar pimenta nos dedos ou esmalte com gosto amargo, extingue o problema temporariamente. Mirar apenas no sintoma não resolve, pois a causa do problema ainda estará agindo.
A EFT pode ser um aliado desse processo. Eliminando o fator gatilho (a origem da compulsão), os ganhos secundários, os sentimentos envolvidos, a pessoa para de roer unhas mais facilmente.
Gary Craing, criador da EFT, exemplifica em sua apostila um caso de ansiedade em que a paciente parou de roer unhas. Segue abaixo:

Susan tinha um elevado nível de ansiedade e começou a aplicar EFT com frequência ao longo do dia. Ela fez isso durante vários meses e, à medida que o nível de ansiedade diminuiu, ela deixou de roer as unhas (um hábito de toda vida)... sem mesmo tentá-lo. Um dia ela pegou sua guitarra, e notou que suas unhas estavam longas demais para tocá-la. Às vezes, EFT funciona de maneira sutil e aspectos colaterais positivos, fora do âmbito da consciência, aparecem com frequência. Quando sua vida volta ao normal, em certas áreas (como ansiedade), parece ser... bem... normal. Não há "sinos nem sirenes"... só paz relativa. Às vezes você nem nota as mudanças até que alguém chame sua atenção para o fato. Isto é o que aconteceu com Susan e suas unhas. EFT, sutil, mas poderosamente reduziu seu nível de ansiedade a ponto de que roer unhas não foi mais necessário.

Experimente!

Você se surpreenderá com os resultados!


Nenhum comentário :

Postar um comentário