sábado, 30 de agosto de 2014

Ensine seus filhos a usar a EFT


Acordei no meio da noite com a voz da minha filha em meu quarto. Ela estava conversando com minha esposa. "Eu estou com medo!". Então uma resposta resignada de Louise, "Ok, deite aqui então...".
No minuto seguinte o corpo da minha filha estava invadindo meu espaço de dormir. Estou bem acordado e digo baixinho para Olivia, minha filha:
"Você já fez os toques que te ensinei?"
"Não", ela respondeu, "eu esqueci!".
"Então comece a tocar!", eu respondi.
Ouço o som de seus dedos batendo levemente em seu rosto. Logo em seguida ela disse:
"É apenas o vento soprando o tempo todo na janela e fazendo sombras no meu quarto e isso me deixa com medo."
"Então pense nisso enquanto você toca", eu respondi.
Ela continuou tocando e eu ouvi alguns bocejos. Logo eu pude sentir que ela tinha se acalmado, e sua respiração ficou mais tranquila.
"Você está pronta para voltar para a cama, então?" Eu perguntei.
"Sim", ela respondeu com convicção, e me deu um beijo, "Eu te amo".
"Te amo, doces sonhos", eu respondi.
Um pouco mais tarde eu fui até o seu quarto e conferi. Ela estava dormindo.
 Na manhã seguinte ela me disse que estava mais cansada do que com medo e por isso é que ela foi dormir. Eu dei risada, e disse a ela que eu estava orgulhoso, pois ela foi capaz de fazer a EFT e voltou a dormir em seu quarto apesar do medo.

Ocorreu-me que nós já passamos por um processo longo, de vários anos, até chegarmos neste ponto. Eu tenho usado a EFT com Olivia, que agora tem 10 anos, desde que ela era um bebê. Também fiz o mesmo com seu irmão mais velho Josh, desde que ele tinha 3 anos.
Josh é muito independente com a EFT agora, faz em várias situações para se acalmar e só ficamos sabendo depois de resolvida a questão. Ele às vezes precisa ser lembrado para tocar, assim como Olivia, mas na maior parte do tempo é capaz de fazer sozinho. 

Quando meus filhos eram menores, eu fazia as batidas neles e por eles, enquanto simplesmente falava sobre o que foi desagradável no dia.
Quando eles tinham idade suficiente para falar, eu pude perguntar-lhes o que estavam sentindo e fazê-los tocar para esses sentimentos que surgiam.
Com o tempo, as rodadas foram mudando e surgiam novas questões para acalmá-los e incentivá-los. Gostava também de estar com eles para estimular a prática e também para que eles percebessem que eu estava ao lado deles para apoiá-los.
E agora, como com Olivia na outra noite, eu os incentivo a fazer as batidas por si mesmos, e permaneço à disposição para falar sobre o problema, se quiserem.
Eu sempre estarei disposto a fazer EFT com eles e para eles, assim como eu estarei disposto a dar-lhes um abraço solidário. Saber que eles podem fazer a EFT sozinhos me dá uma grande sensação de calma, pois quando encontrarem os desafios inevitáveis ​​da vida terão disponível uma ferramenta inestimável para tornar a vida deles mais fácil.



Baseado no depoimento de Steve Wells


Nenhum comentário :

Postar um comentário