sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Como a EFT pode ajudar na Fibromialgia

A EFT trabalha no campo emocional. Uma vez tratado o trauma ou a emoção, o nosso lado físico e racional se recupera também. No caso da Fibromialgia, ainda se discute muito se problemas emocionais são ou não a sua causa principal. Felizmente, a medicina moderna está se voltando cada vez mais para considerar o ser humano como um ser integral e reconhecer como emoções ou vibrações negativas influenciam no quadro geral do indivíduo.
Alguém que esteja há algum tempo sob um estresse constante pode desenvolver os sintomas da doença, como dores musculares, dores não localizadas, influenciadas por ansiedade e depressão. Quem conhece a EFT e sabe como ela atua, entende que a Fibromialgia pode ter surgido sob pressão de um quadro emocional muito forte, que inclui uma sucessão de eventos traumáticos e que com a aplicação da EFT pode-se facilmente reverter o problema.
São inúmeros os relatos de pessoas que aliviaram as dores ou até "se curaram" da doença usando a EFT. Como a Fibromialgia é um resultado de inúmeras causas, talvez o tratamento com a EFT dure um pouco mais do que de costume. Por exemplo, é possível começar tratando uma dor em específico. Essa dor pode amainar e você poderá então pensar que resolveu o problema. Para sua decepção, a dor poderá voltar no futuro, ou aparecer em outro local do corpo. O melhor nesse caso é dirigir-se diretamente aos eventos emocionais.
Pergunte a si mesmo(a)quando foi que esses sintomas começaram e se nessa época você passava por alguma fase estressante. Tente obter alguma resposta clara e se lembrar de algum ou mais traumas que possam estar relacionados com o problema. Pode ser que a resposta não venha de maneira tão clara. A esse respeito, use a EFT de maneira simples, dirigindo-se à sua falta de clareza em saber a resposta. Não se surpreenda se a resposta vier muito mais rápido do que você pensa.
Na verdade não há uma explicação clara sobre a Fibromialgia. Muitas vezes a chamamos assim para uma variedade de sintomas, principalmente para a dor. Ela não deixa de ser uma circunstância onde o corpo tem que suportar o peso do estresse mental e de traumas. Portanto, prepare-se para focar nas emoções e não no sofrimento físico.
Em outras palavras, ao invés de se martirizar e se penalizar pelas dores físicas, agora você deverá estar aberto(a) para descobrir o que tal problema emocional está querendo lhe "dizer" na forma dessa dor. E é aí que a EFT se encaixa perfeitamente bem, pois ela é ótima para aprendermos a ouvir os sinais e mensagens. Será possível desvendar o estresse ou trauma emocional, que poderá estar até então imperceptível para você. E mais, a natureza desse trauma pode ser muito variada, desde um acidente ou doença infantil, falta de sono ou estresse nos estudos, até uma perda de um ente querido ou de um emprego.
A EFT e a Psicologia Energética trazem verdadeiro benefício para o tratamento de traumas e estresse. E a Fibromialgia poderá se atenuar bastante com a aplicação devida da técnica. Como eu disse anteriormente, deve-se aplicar a EFT principalmente para os eventos emocionais, deixando de lado os sintomas da dor em si. Também, esteja atento(a) para todos os sentimentos e pensamentos que estiverem relacionados ao evento traumático. E deve-se aplicar as rodadas padrão para todos e cada um deles.
Será que com essa dor você não está querendo se esconder de alguma maneira? Ou será que você não está reagindo ao problema da maneira errada? Ao invés de se aceitar e saber se deixar levar pela correnteza, talvez você esteja querendo impor resistência, achando que com isso você será perfeito(a). Isso só trará mais problemas. Mas é o que frequentemente ocorre com quem sofre de dores agudas, como no caso da Fibromialgia. Veja se você está resistente a alguma coisa. É nesse ponto então que você poderá começar a aplicar a EFT.

Uma coisa é certa: a EFT traz alívio e liberdade das emoções. Se você conseguir detectar os sentimentos e emoções que causam a dor, é muito provável que o alívio seja eficaz e duradouro.

Texto de Eneas Guerriero

Nenhum comentário :

Postar um comentário