sábado, 14 de fevereiro de 2015

Se a dor pudesse falar com você, o que ela diria? Um relato do uso da EFT para Fibromialgia

Eu acredito que a dor da Fibro é como qualquer dor, tem base em traumas físicos ou emocionais do nosso passado. 
Quando eu usei a técnica da EFT, todos os dias, eu comecei a curar imediatamente e rapidamente. No entanto, a minha recuperação completa necessitou prática diária de EFT por dois anos e sete meses. A persistência é a minha melhor amiga. 
Faço rodadas, todos os dias, para o que está me incomodando, tanto dor como problemas rotineiros. E pelo menos uma vez por semana faço um trabalho mais profundo sobre minhas lembranças do passado. Isso em terapia, pois eu tenho dificuldade de fazer essa parte sozinha.
Eu já tinha feito o inventário pessoal do meu passado para encontrar os possíveis traumas emocionais/físicos. A terapeuta, assim como com qualquer cliente, abordou minhas referências passadas de infância e, em seguida, os que eu acreditava serem os gatilhos para os sintomas que tenho experimentado por mais de 20 anos.  Tive melhoria imediata e fenomenal após as primeiras sessões.
O segredo? Fiz rodadas para tudo, todos os dias, não importava se era sintoma físico, emocional, pensamento negativo ou o que quer que fosse.
Se posso aconselhar alguma coisa, digo para não se preocupar com o que está vindo à tona. Faça para tudo que surgir, siga a trilha e ela te levará para o ponto gatilho.
Mais um segredinho meu... Mesmo sem dor, continuo fazendo EFT sempre. Esse é o único jeito que encontrei da dor não voltar.
Bom, não sabe por onde começar? Pense...
Se a dor pudesse falar com você, o que ela diria?
Comece por ai e liberte-se. 

Rosa Maria




Nenhum comentário :

Postar um comentário